ILUMINAÇÃO NO DESIGN DE INTERIORES

INNES, Malcolm

Editora Gustavo Gili, Barcelona, 2014

192 p., 28 x 21,7 x 1,7 cm, capa 2 cores, miolo colorido

REF: ILUM01 Categoria

Descrição

Resenha:

A luz é uma das princiapis ferramentas para o designer de interiores e pode transformar a maneira pela qual um espaço é percebido. Com mais de 300 ilustrações e um texto direto e claro, este livro tem uma abordagem detalhada e prática sobre iluminação em design de interiores, dando aos estudantes todos os conhecimentos e informações essenciais para que possam ter sucesso em seus projetos.

  • Cobre tanto os princípios de iluminação técnicos como os de projeto;
  • Diagramas e seqüência de fotografias especialmente criados para o livro explicam a física da luz;
  • Estudos de caso de obras de especialistas em luminotécnica mostram o que deve ser iluminado e de que modo;
  • Plantas e desenhos detalhados demonstram como representar esquemas de iluminação por meio do CAD e das maquetes eletrônicas.

MALCOLM INNES é especialista em luminotécnica, artista da luz e professor de iluminação. Ministra aulas e palestras no mundo inteiro sobre luz, arte e arquitetura e leiona nos programas de Mestrado em Luminot´cnica, Bacharelado em Design de Interiores e Bacharelado em Projeto e Artes Digitais da Universidade Napier de Edimburgo, Escócia. O professor Innes também é membro ativo da Associação de Projetistas de Iluminação Profissional.

 

PARTE I – TEORIA

Capítulo 1 – A física da luz: o que é luz?; As propriedades físicas da luz – o que os projetistas precisam saber; Reflexão; Espelhos; Transparência; Filtros e lentes; Refração; Sombras projetadas; O que é a cor? Medição da luz; Luminância; Candela; Lúmen; Fluxo Luminoso; Lux; Iluminância e Fotômetros. 

Capítulo 2 – Fatores Humanos: Percepção da luz; Adaptação; Como são percebidas as mudanças nos níveis de iluminação; Os olhos e o sentido da visão; Visão estereoscópica; Detecção do movimento; Baixa sensibilidade à luz; Luz e psicologia; Como vemos?; Preferências.

Capítulo 3 – Luz Natural: Do que os seres humanos precisam?; Fontes de luz natural; Variação da intensidade; Direção da luz natural; Cor e luz natural; Controle da luz diurna; Estudo de caso: Galeria de Arquitetura – Victoria & Albert Museum, Londres.

Capítulo 4 – Luz Elétrica: Fontes de luz elétrica; Incandescentes; Luz de Descarga; Fontes de luz eletroluminescentes; Luminárias; ; Visualização dos padrões de luz; Visualização dos dados fotométricos de um spot; Diagramas Isolux; Sistemas de controle da iluminação; Dimmers de uso doméstico; Dimmers eletrônicos.

PARTE II – PROCESSO E PRÁTICA

Capítulo 5 – Princípios de luminotécnica: Hierarquia visual; Entendendo as propriedades da luz natural; Entendendo as camadas de luz; Dinâmica e variação; Como criar efeitos exuberantes por meio da iluminação; Transformação e controle da luz; Superfícies e texturas.

Capítulo 6 – Iluminação para as pessoas: Qual nível de iluminação é suficiente?; Iluminação para o coforto e a segurança; Iluminação sobre o plano de trabalho; Iluminação para orientação; Passo a passo: iluminação de um corredor; Estudo de caso: Terminal Charles de Gaulle, Paris; Evitando o ofuscamento; Estudo de caso: Galeria com baixa iluminação, Museu de Vida e Arte Religiosa de Saint Mungo, Glasgow, Escócia.

Capítulo 7 – Iluminação na arquitetura: Iluminação geral; Iluminação de destaque; Estudo de caso: Edifício One GYLE Squares, Edimburgo, Reino Unido; Estudo de caso: Mesquita do Xeque Zayed bin Sultan Al-Nahyan, Abu Dhabi, Emirados Árabes;  Iluminação de superfícies verticais; Tornando a luz parte integral da arquitetura; Estudo de caso: Restaurante Morimoto, Filadélfia, EUA.

Capítulo 8 – Processo de projeto: Estudos preliminares, Análise das necessidades; Etapa do anteprojeto; Etapa do projeto executivo; Etapa da execução; Ajustes ffinais e programação; Entrega ao cliente; Estudo de caso: Catedral de Saint Machar, Aberdeen, Reino Unido.

Capítulo 9 – Registro e visualização da iluminação: Desenhos e croquis; Representações abstratas; Representações esquemáticas; Fotografia; Representações gráficas feitas em computador como ferramenta de projeto; Maquetes convencionais.

Capítulo 10 – Apresentação e finalização do projeto: Qual a quantidade de informação suficiente? Cortes e elevações; Estudo de caso: Musée de L’Orangerie, Paris; Representação gráfica da luz; Passo a passo: uso de maquetes eletrônicas; Desenho do lay-out dos circuitos e controles; Uso de croquis de detalhes; Protótipos e testes de iluminação; Especificações; Memória descritiva; Especificações detalhadas; Execução do projeto; Direcionamento e programação finais dos pontos de luz.

Conclusão: O futuro.

Glossário

Informação adicional

Peso 0.75 kg

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “ILUMINAÇÃO NO DESIGN DE INTERIORES”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *